Portal OESTADONET

O prefeito de Santarém Nélio Aguiar viaja neste sábado(14) para a cidade boliviana de Riberalta, onde participa do 1º Encontro de Aprendizagem das Cidades da Região Amazônica.
Para que não se tornem inelegíveis para as eleições deste ano, o vereador Antônio Rocha, presidente da Câmara Municipal e o vice-prefeito Zé Maria Tapajós, ambos candidatos a deputado estadual, não podem assumir a prefeitura.
Também não pode ficar na interinidade o primeiro-vice presidente da Câmara, Júnior Tapajós, filho de Zé Maria que, caso assumisse o cargo, provocaria a inelegibilidade do pai dele.
Por causa disso, o cargo será ocupado pelo segundo vice-presidente da Câmara, o inexpressivo vereador Dayan Serique, durante o período de quatro dias.
Em 2011, o então vice-prefeito José Antônio Rocha assumiu a prefeitura de Santarém em substituição à então prefeita Maria do Carmo no período eleitoral, o que tornou inelegível seu pai, deputado Antônio Rocha, candidato à prefeitura.

Encontro na Bolívia

 

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) designou o prefeito Nélio Aguiar, presidente da Federação do Municípios do Estado do Pará (Pará), como representante da entidade para dialogar com representantes de cinco países a realidade das cidades amazônicas. Nélio viaja com todas as despesas pagas pela CNM e não receberá diárias da prefeitura de Santarém.

Para esta primeira edição, o tema será: “cidades amazônicas, políticas e projetos para cidades pequenas e médias da região Amazônica”. O intuito é construir uma rede de cooperação e aprendizagem entre os gestores locais envolvidos com a temática. Essa interação deverá resultar na construção de políticas públicas para os Municípios da região e, por conseguinte, um ambiente favorável ao desenvolvimento local.

O evento é organizado pela Federação Latino-americana de Cidades, Municípios e Associações de Governos Locais (Flacma), a Associação Boliviana de Municípios (AMB), a Organização Mundial de Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU), a Organização Mundial do Trabalho (OIT) e a organização internacional The Amazon Conservation Team (ACT), em tradução livre, Time de Conservação da Amazônia. Também há o apoio do governo nacional e de associações municipalistas da Bolívia.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Sexta, 13 Abril 2018 12:14