Portal OESTADONET

O general Villas Boas, comandante do Exército, determinou que o setor de engenharia da coporação participe de uma força-tarefa com o DNIT e a Polícia Rodoviária Federal para manter a trafegabilidade da BR 163 no PA e possibilitar o escoamento pelo Corredor Norte da safra de grãos 2017/18, estimada em 25 milhões de toneladas.

A informação foi postada no perfil do general no Twitter, um dia depois de caminhoneiros terem bloqueado o tráfego de caminhões na Br-163, no sentido Mato Grosso-itaituba, para protestar contra a falta de trafegabilidade na rodovia, por causa de trechos interrompidos entre Novo Progresso e Moraes Almeida,  pelos estragos causados pelas fortes chuvas que assolam a região sudoeste do Pará.

“Determinei q a engenharia do @exercitooficial participe de uma força-tarefa com o DNIT e a PRF para manter a trafegabilidade da BR-163 no PA e possibilitar o escoamento pelo Corredor Norte da safra de grãos 2017/18, estimada em 25 milhões de toneladas. #EBPodeConfiar!, escreveu o general.

Outras ações são o monitoramento e controle de tráfego, além de um sistema para divulgação de informações. As condições de trafegabilidade da rodovia são atualizadas diariamente e podem ser conferidas no endereço www.br163pa.com

A rota de escoamento é de grande importância para os produtores rurais de Mato Grosso, que estão em plena colheita de soja, e deve permanecer interditadadesde o último sábado(3) por até 62 horas. A medida é executada por quipes do Departamento Nacional de Trânsito (DNIT), Exército e Polícia Rodoviária Federal-PRF.

O objetivo é evitar o acúmulo dos veículos em Moraes Almeida, onde a subida da serra do Moraes está com a pista escorregadia, o que dificulta a passagem de caminhões carregados. A fila que se formou em Moraes está sendo liberada aos poucos, com tempo de parada estimado em até 10 horas e prioridade para caminhões carregados com cargas perecíveis.

De acordo com o DNIT, um novo ponto de apoio foi criado em Riozinho, entre Moraes Almeida e Novo Progresso, com restrição de tráfego no sentido Norte e tempo de parada estimado em 10 horas. Viaturas do Exército, DNIT e PRF percorrem o trecho fornecendo informações para os motoristas e água potável.

Neste período de chuvas, as empresas contratadas pelo DNIT estão realizando serviços de manutenção para garantir a trafegabilidade no trecho não pavimentado da BR-163/PA. A retenção de veículos não é causada por atoleiros e sim pela impossibilidade de tração dos caminhões carregados sob chuva, em trechos em aclives. Quando terminar o período chuvoso, previsto para abril, se dará continuidade aos serviços de pavimentação programados para a rodovia.

Um total de mais de 220 homens, incluindo agentes de trânsito, servidores e colaboradores do DNIT, além do efetivo do Exército e agentes da PRF, foi mobilizado a partir de dezembro passado para garantir a trafegabilidade no trecho não asfaltado da BR-163/PA durante o período de chuvas, conhecido como inverno amazônico. A inspeção diária da rodovia, visando uma atuação preventiva ou emergencial, faz parte do conjunto de medidas definidas pelo DNIT. ( Com informações do site Olhar Direto)




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Segunda, 05 Fevereiro 2018 10:14