Lúcio Flávio Pinto

A Ferrogrão, a ferrovia projetada para ligar Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso, a Miritituba, no Tapajós, teria sido um dos temas da conversa que o presidente mundial da Cargill, Dave MacLennan  teve, na semana passada, em Davos, na Suíça, durante o Fórum Econômico, com o presidente Michel Temer.

A condição inicial para mais investimentos da multinacional americana no Pará no escoamento de grãos pela Amazônia seria a definição de um marco regulatório para a infraestrutura. O que pode significar mais vantagens para a empresa assumir o projeto da ferrovia. Mas a Cargill também quer que seja concluída a pavimentação da rodovia Santarém-Cuiabá, que complementaria o fluxo ferroviário.

Traduzindo: vem mais soja por aí. A cultura já ocupa quase 4% da área do Brasil.




Comente no Site (Clique Aqui)


Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Comente no Facebook (Clique Aqui)


Última modificação em Terça, 30 Janeiro 2018 19:19